quinta-feira, 29 de fevereiro de 2024

Monte Cerrado é em Carreço

 ( Este texto foi publicado na A AURORA DO LIMA em 29 de Fevereiro de 2024)

Monte Cerrado é em Carreço                                                  

Mais precisamente em Paçô.

Isto porque ao ler os CADERNOS VIANENSES, Tomo 57 de 2023,  encontrei uma informação de Maranhão Peixoto acerca da Parochia de Nossa Senhora de Monte Cerrado, a que o vulgo chama Monserrates, segundo documentos existentes no Arquivo Municipal de Viana do Castelo. Paróquia essa cuja criação se justificava já em 1541 “por ter crescido o Povo e não caber na Matriz”. (pags. 372 e 373).

Desde logo terei de me desfazer da ideia  que tinha de que  o culto de Monserrate teria vindo da Catalunha, mais precisamente de Barcelona

Acontece que sei onde fica o Monte Cerado se da tal Senhora se d’umas Alminhas. Sei da Portela do Monte Cerrado na passagem de  Paçô para Gateira onde existe um nicho encimado por uma cruz e com um pequeno altar virado a Sul. Local de culto decerto.


E o certo é que o da Percina me confirmou que no século dezanove por lá passava a Procissão do Cerco e que o penedo era conhecido pelo Penedo da Rasa, que se encontrava numa bouça da Casa do Cigano!

 

 

 

                                     

Há uns tempos passei por lá. Vindo de Afife a Carreço pelo monte. Esse caminho era exactamente aquele que eu, na minha adolescência percorrera, desde Carreço a Afife, chegando assim à conclusão que esse caminho podia ser percorrido nos dois sentidos!!! Neste caminho os de Afife  colocaram uma placa toponímica CAMINHO DOS BURROS.


Como na tal minha adolescência nunca vi lá placa nenhuma, cheguei à conclusão que os de Afife colocaram lá a placa depois de eu lá ter passado!!!

O certo é que, por aquela zona da transição entre Paçô e Gateira, existe um grande penedo onde se encontra o nicho do tal culto . Mas por essa tal altura de que falo, não dei pela existência de qualquer cruz.

Ora acontece que, mais recentemente, ao passar por lá verifiquei que existe agora uma cruz a encimar o cabeço! Cruz essa que me pareceu moderna. Enfim ainda resta qualquer coisa. Mais que não seja o nicho o altar e a quadra da Cruz. Das Alminhas do Cadinho, junto à EN13, é que nem sequer uma réplica existe.

 

Afife, 12 de Fevereiro de 2024

António Alves Barros Lopes







sexta-feira, 23 de fevereiro de 2024

Agricultura do Norte ou no Norte

 AGRI - doces e amargos


Já me indaguei se sobrará gente para plantar batatas tantos são os objectivos!

tone do Moleiro Novo


quarta-feira, 21 de fevereiro de 2024

Os novos descentralizadores

Também poderia ser intitulado

EU ADÓÓÓRO ANDAR DE COMBÓIO


Em 6 de Novembro de 2017 foi noticiado que:

"O “Movimento pelo Interior”, liderado pelo Presidente da Câmara da Guarda, Álvaro Amaro, que é também presidente dos Autarcas Social Democratas, foi recebido no passado sábado, dia 4 de novembro, no Palácio de Belém, pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa. O grupo foi solicitar, «em nome da coesão», o alto patrocínio da Presidência."

"Para além do Presidente da Câmara da Guarda, este grupo integra ainda o Presidente da Câmara Municipal de Vila Real e Presidente dos Autarcas Socialistas, Rui Santos, o Reitor da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) e Presidente do Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas (CRUP), António Fontaínhas Fernandes, o Presidente do Instituto Politécnico Leiria e Presidente do Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos (CCISP), Nuno Mangas e o Presidente do Conselho Geral da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) e ex-Presidente do Conselho Económico e Social, José Silva Peneda."

Ver em 

https://www.mun-guarda.pt/noticias/645-movimento-pelo-interior-lidera

Mais recentemente,  em 7 de setembro de 2022 já..

"O ex-ministro Miguel Cadilhe defendeu esta quarta-feira que Portugal “precisa muito” de um “Movimento pelo Interior II”, mas “com voz mais sonora” do que o primeiro, que considerou ter “encerrado para balanço” sem que as suas propostas fossem acolhidas."

VER

https://observador.pt/2022/09/07/cadilhe-defende-que-o-pais-precisa-muito-de-um-movimento-pelo-interior-ii/

No entretanto no PUBLICO e em 23 de Junho de 2019,  este mesmo Cadillhe tem um arrependimento fabuloso:

O texto, COMBOIOS, de um tal Carlos Cipriano, principia de uma  forma sucinta e eloquente:

"Miguel Cadillhe ex-ministro das finanças de Cavaco Silva reconhece que foi um erro o encerramento da linha do Douro, em 1988, entre o Pocinho e a Barca de Alva, e é o primeiro subscritor de uma petição para a sua reabertura."

Desde logo é surpreendente que Cadillhe fale apenas no Ministro das Obras Públicas de então que em conselho de ministros os teria "enganado a todos" (ver texto enquadrado a vermelho).

Mais surpreendente quanto à data o Primeiro Ministro era precisamente Cavaco Silva o tal que nunca se enganava e raramente tinha dúvidas. Ou que nunca tinha dúvidas e raramente se enganava.

- Então qual era a autoridade de Cavaco Silva nessas reuniões de Conselho de Ministros???

É caso para perguntar pois o nosso inefável Cavaco sempre gostou de andar de comboio e até chegou a afirmar, por volta de 2012, que estava mortinho por fazer uma viagem até Barca d'Alva. Ver https://www.youtube.com/watch?v=ADWmxGhKagg


(Se isto num é gozar como pessoal, vou ali e venho já)

Isto porque...

No ano de 1988 são suprimidos os serviços de passageiros na Linha do Sabor parte da Linha do Vouga e da Linha do Douro 

Em 1989 , são encerradas a Linha do Sabor,  Linha do Dão , Linha entre Guimarães e Fafe e a Linha do Douro entre Pocinho e Barca d'Alva

Vejam

https://www.cp.pt/institucional/pt/cultura-ferroviaria/historia-cp/cronologia

 E vejam se se lembram de quem era Primeiro Ministro na altura!

Ao mesmo tempo lembrem-se do que naquele tempo fizeram Cavaco e as carpideiras de agora. Em 19 de Dezembro de 1994, Pedro Arroja Economista e director do ISLA analisando as estatísticas do INE relativas a 1993 demonstra por Á mais Bê que na saúde e na cultura Pelo menos, que as regiões mais ricas são privilegiadas em relação às mais pobres.

Ao mesmo tempo que o grosso dos investimentos ía para a estratégicamente criada Região de Lisboa e vale do tejo e para o Litoral. Ver

É desses tempos este cartoon saído no JN de 9-11-1994


Mas vem agora Alvaro Amaro em 18 de Fevereiro de 2023.


Com muita pena dos agricultores e do interior e do mundo rural
Num sei com que intenção mas o certo é que o SOL mandou, na edição, o Álvaro Amaro para o -  pag 43 - OBITUÁRIO












E o Miguel Cadilhe ajudou à missa no jn de 21 de Fevereiro de 2024





Queixando-se do hipercentralismo












Mas a missa tem sido das cantadas pois tem mais que um celebrante.

JN 20 de Fevereiro de 2024 e no lançamento de mias um livro sobre Sá Carneiro



Já em 13 de Dezembro de 2017, Cadillhe ataca...

https://www.dn.pt/lusa/interior/antigo-ministro-das-financas-miguel-cadilhe-pede-coragem-politica-para-mudar-o-interior-8982947.html


Quote

O antigo ministro das Finanças Miguel Cadilhe lamentou hoje que ainda não tenha havido   
coragem política para avançar com propostas que discriminem favoravelmente o
Interior do país, defendendo que agora se devem tomar medidas radicais.

"Algumas das medidas têm de ser radicais, para que o Interior verdadeiramente beneficie,
senão estaremos a exercer uma espécie de hipocrisia política", arranjando apenas
 
"uns remendos para Interior, para que tudo fique na mesma", considerou.   

O antigo ministro admitiu que "não é propriamente fácil a discriminação fiscal a favor           do Interior", mas comprometeu-se a trabalhar para apresentar propostas de modo a que            quem tem o poder político as possa ponderar."
Unquote



E já em 25 de Fevereiro de 2018 Miguel Cadilhe volta a  atacar


No entanto em Setembro de 1989 realizou-se em Bragança um encontro de empresários do Nordeste. 

VER 

https://arquivos.rtp.pt/conteudos/cavaco-silva-em-braganca/#sthash.7rYFLNW7.dpbs

Em que, se a memória não me engana, esteve presente um tal Miguel Cadilhe Ministro das Finanças, 
E lá, instado pelos empresários a promover juros mais baixos, precisamente para incentivar o                                                          investimento na região, respondeu que isso  seria discriminar o mundo empresarial do litoral. 
Como disse cito de memória ( não tenho evidências em arquivo) mas vou apelar à dos de Bragança                             que pode ser que a sua memória seja melhor  que a minha.
Em 13 de Dezembro de 2017

https://www.dn.pt/lusa/interior/antigo-ministro-das-financas-miguel-cadilhe-pede-coragem-politica-para-mudar-o-interior-8982947.html


Quote

O antigo ministro das Finanças Miguel Cadilhe lamentou hoje que ainda não tenha havido
coragem política para avançar com propostas que discriminem favoravelmente o
Interior do país, defendendo que agora se devem tomar medidas radicais.
"Algumas das medidas têm de ser radicais, para que o Interior verdadeiramente beneficie,
senão estaremos a exercer uma espécie de hipocrisia política", arranjando apenas
"uns remendos para Interior, para que tudo fique na mesma", considerou. 
                                                                                             Unquote
 Agora no SOL DA GUARDA em 17 de dezembro de 2017

2 – Novo Executivo
“Jorge Coelho e Miguel Cadilhe no "executivo" de Álvaro Amaro para o combate à interioridade”
Está apresentada a equipa de peritos que vai coordenar o programa do Movimento pelo Interior.                            

Álvaro Amaro e os outros fundadores, reuniram ontem em Viseu com Jorge Coelho, 
Miguel Cadilhe e Pedro Lourtie, especialista em educação e qualificação 
Voltemos a Cadilhe e a Setembro de 2022
https://observador.pt/2022/09/07/cadilhe-defende-que-o-pais-precisa-muito-de-um-movimento-pelo-interior-ii/
Digo eu agora
Mãe do Céu! O que a idade faz às pessoas! - Abre-lhes o espírito.
Miguel Cadilhe Ministro das Finanças de um governo que conduziu o interior ao despovoamento! 
Álvaro Amaro Secretário de Estado da Agricultura
Cavaco Silva Primeiro Ministro
- Não que a coisa não viesse de trás! 

- Mas principalmente depois da entrada na CEE na altura que se 
propagandeava...

...não faltará apoio para desenvolver o interior... 
(SIC)
Ver https://lopesdareosa.blogspot.pt/2010/10/recandidaturas.html

Nota Final

Sabem qual é a coroa de Glória de Cadilhe. 

É que  o seu arrependimento foi recompensado precisamente pelos representantes daqueles que mais directamente prejudicou.

Quote

28/03/2017 — Tal galardão foi atribuído a Miguel Cadilhe como reconhecimento pelo seu papel maior no engrandecimento do Douro, cabendo-lhe a ideia e ...

Unquote

E por fim ouçam o cara de pau dizer que gostaria muito de voltar a Barca de Alva.





Eu adóoooro andar de comboio. 
Sentir a pancada das rodas nos carris e olhar a paisagem.
Ajuda a esquecer as agruras da vida. Ou lembrar


tone do Moleiro Novo I - Autproclamado O Chato

quinta-feira, 15 de fevereiro de 2024

I am not a "negro" I am a "Black"

 

Isto passa-se nos anos 60

Cassius Clay (na data da entrevista já tinha mudado de nome) tinha sido campeão Olímpico em Roma no ano de 1960 e explicou, muito bem, ao entrevistador que num era "negro". 

("Nigrou" na fonética.)


Explicou, muito bem, que era "Black" ou seja... "PRETO"

Mas o mais hilariante da situação foi a pergunta que Clay fez ao apresentador. Se ele tinha compreendido a explicação. Ao que o apresentador respondeu que sim.

- Então não é assim tão "Dumb" quanto parece! (comentou o Clay)


lopesdareosa


Ciganos livres ciganos

Ciganos verdes ciganos Deixai-me com minha crença Os pecados têm vinte anos Os remorsos têm oitenta Pedro Homem de Mello



Ciganos livres ciganos
Quando as crenças são enganos
E a fé já não aguenta
quando perto dos oitenta
já estão à espera os remorsos
que fazem doer os ossos
Hérnias de todo o cansaço
saudades daquele regaço
Apertos de miocárdio
Castelos de duro aço,
com portões de puro sárdio
Fechei-os
Enchi-os
Cheios
De impuro fel
Sem ter maço nem cinzel
Talvez tivera tido alguém
Que me tivesse também
Quando olhei tinha partido
Talvez tivesse querido
E a perdição do sentido
Perdi-o nessas derrotas
Te peço se não te importas
Não me perguntes por mim
Não me lembres o passado
Mau, pecador, vinte anos, ruim.
Num quero ser mortificado assim
Pois as cinzas do meu fim
e as chamas do passado
Caminham sempre ao meu lado
Não me perguntes por mim
Não me lembres o passado
Tone do Moleiro Novo

Com as minhas homenagens a Mariana Homem de Mello e Helena Enes Pereira, testemunha viva da Ínclita Geração de Montedor.

quinta-feira, 8 de fevereiro de 2024

A Grande preocupação


A 17 de fevereiro de 1961  O Santa Maria atracou  no cais da Rocha do Conde de Óbidos, em Alcântara.                                                                                                       

Tinha vindo do Brasil depois de ter sido sequestrado pelos "guerrilheiros" do Henrique Galvão 

(Mas isso é outra história que não é para aqui chamado) 

E foi recebido  pelo Salazar em pessoa, que no meio de uma multidão proclamou:  

"Obrigado, portugueses"                                                                                  " Temos Santa Maria  connosco." 

Ora o que me interessa agora é precisamente o Nosso Salazar ter utilizado o vocativo "portugueses".

E era assim que se falava. Este "portugueses" referia-se claro está ao conjunto de portuguesas e portugueses.

O tal "neutro" ou o tal "comum" (sei lá!) de que os entendidos em gramática falam.

Mais recentemente o discurso mudou. E agora é moderno começar a arenga desta forma:

"Portugueses e portuguesas"

E não venho aqui em busca de quanta tinta foi gasta por causa disto!

Só venho observar que esse tratamento desde logo conduz a uma outra discussão

-Porque não "portuguesas e portugueses"?

Ou seja vendo as coisas mais amplas, chegamos à questão, crucial pelos vistos, do tal "género" Ou mais complicadamente "igualdade de género" ...                     ... como se o género num fosse igual mesmo sem etiqueta!

Apenas dois exemplos:

Teríamos de utilizar "estudante" se o dito cujo fosse macho. E "estudanta" se o dito cujo fosse uma dita cuja,

Prolongando a ideia, deixaria de haver "militares"

Se fosse macho até poderia ser. Se fosse fêmea então seria uma "militara"!!!

E quando o pessoal se referisse ao "ser humano" como o gajo é masculino, teria então que dizer a "sera humana" se fosse gaja.

Acontece que todos somos filhos ( e netos já agora) da história, de uma cultura...

E no meu caso foi na primeira classe que aprendi a ler a escrever e a contar. (Essa coisa da gramática veio mais tarde)

E a falar já eu sabia. 

Tinha aprendido no seio da minha família.

Mas, reparo agora, que esta minha última frase me pode colocar numa posição deveras delicada em relação a todos os recém chegados à história e que defendem a moderna distinção do "género"

"Família" é feminino e "seio" é masculino!

- Então como é que uma mulher pode ter "seios"??

Às tantas terei que começar a dizer que mamei nas "seias" da minha Nai!

Mas como a coisa num me soa nada bem tenho uma solução!

Direi que mamei nas "tetas" da minha Nai e fica essa coisa do género sanada!

Os Gregos que tinham as canseiras da vida resolvidas, dedicaram-se à filosofia.

Nós, como temos o sustento garantido nas prateleiras dos supermercados, dedicamo-nos à palermice!

tone do moleiro novo