sexta-feira, 16 de setembro de 2022

17 de Setembro de 2019

 17 de Setembro de 2019

Esta data nada tem de especial. Apenas porque nesse dia em Bilbao, mais precisamente na "discoteca" Kafe Antzokia  se encontraram um grupo de bascos e cantaram 564.

Um tema com quase já mais de 30 anos, um autêntico hino gravado pelo agrupamento Hertzainak em 1989/1991 

Ouvir em https://www.youtube.com/watch?v=N5ox8sEYLgI

Em 2019, o acordeão ficou por conta de Josu Zabala e a guitarra nas mãos de Iñaki Garitaonaindia (Gari). Ambos fundadores do Hertzainak 

Quem me chamou a atenção para este tema foi TAPIA um dos maiores na Triquitixa nos dias de hoje.

Emocionou-me ouvir aquela gente! E logo tentei saber o que cantavam. Mas não é necessário entender Euskera para ter uma puntada de não estar no meio daquela comunhão!

Tratava-se de 564 camas vazias que os Bascos guardavam para receber outros tantos condenados pela sua luta por um Pais Basco independente. Segundo uns meros criminosos, segundo outros, presos políticos.

Não vale a pena transcrever as palavras em Basco. No entanto tentei uma tradução livre do que cantavam.

Mais duras que um frio eterno           

e mais que os dias que um ano tem

 há 564 camas vazias  

onde a dor se estende

- Uns dizem que  é o castigo que merecem

- Para os que amam serão ventos de liberdade

Quem pode entender  564 batidas  na solidão?

muitas mais do que as do nosso coração.

https://www.youtube.com/watch?v=DWEV8K6efdw



em alternativa ouçam a versão que segue:


AABL


quarta-feira, 14 de setembro de 2022

PORRUSALDA - PORTUSALDA

 PORTUSALDA

A palavra original é Porrusalda o que quer dizer em basco - SALADA DE ALHO PÔRRO.
No entanto também serve para denominar uma música e consequentemente uma dança.
Existe um grupo chamado KORRONTZI que já veio a Portugal a diversos festivais.
E o tocador de Trikitixa, Agus Barandiaran, decerto se apercebeu das modas dos nossos tocadores.

E vai daí engendrou um tema a que lhe chamou PORTUSALDA.
Afinal um "corridinho" com laivos de CANA VERDE bem à nossa moda, Decalcada mesmo!
ver aqui!




terça-feira, 13 de setembro de 2022

TRISTE SINA DO PENSADOR NUM POEMA CURTO


TRISTE SINA DO PENSADOR NUM POEMA CURTO

Vendo-me ninguém me compra

ofereço-me
ninguém me quer

disfarço-me
todos me matam

Mato-me ninguém me salva

Fujo-me ninguém me segue

Venho-me ninguém me espera

Se alguém me phode ninguém me acode

aabl

segunda-feira, 12 de setembro de 2022

SENHORA DA PENEDA 1972

 1972, seis para sete de Setembro.                                         Noite grande da Senhora da Peneda.

 No seguinte dia nove sai esta noticia no jornal " República" 

«PIRILAU», vida cortada…

Afife foi sobressalto na manhã de quinta-feira.

 Lúcio Amorim, mais vulgarmente «Pirilau», resolvera finalizar-se.

A sua existência talvez se lhe parecesse já comprida.

Ou a própria vida não lhe desse aquela satisfação espiritual, ideológica, intelectual ou idealista que desejaria… Porque mais nada motivara a sua última atitude, a não ser, precisamente a corajosa e comovedora conclusão de tudo feito na vida.

E nada mais da vida… O seu requinte – ou elegância? – da última cena da existência deu-lhe uma certa preocupação.

Um vigoroso e repousante banho, um vestir de roupa domingueira, compra de corda nova, colocação estudada no local seu preferido: o quintal.

Depois cartas, muitas cartas para os amigos.

O destino de utensílios pessoais. – “Quando morreres, Pirilau, não te esqueças de me deixar isto… “ E «Pirilau» não se esqueceu.

Homem de Teatro amava - o profundamente. Vivia o Teatro intensamente.

Ele era o homem de tudo.

Ensaiava, representava, escrevia, encenava… ELE ERA O TEATRO EM AFIFE.

Era o amador que sabia dignificar o Teatro. Nunca usou fantasia na linguagem… Nunca teve prosápia – tão própria dos medíocres. Era modesto. Naturalmente.

O que fazia por Afife ou pelo Teatro era tão somente porque a chama íntima o impelia. Não queria fantochadas.

Queria a verdade. A singeleza. «Pirilau» era uma figura fora do mundo.

Tão simples e tão cheio de nacos que definem o homem – por si e pela sociedade de que fazia parte e queria enaltecida.

Afife terá um dia de dizer quem foi Lúcio Amorim, «Pirilau». Porque falar em Afife, é recordar «Pirilau».

Homem digno, integro, raridade como amigo do amigo, leal e puro. Homem do Teatro, do povo pelo povo, escolheu a sua última cena no palco da vida. Que descanse em Paz! "

JAC (José Cardoso???)

Naquele ano, apanhando-me eu de 128, fui a todas. Até à Senhora da Peneda. Lembro também que lá foi a Mariana e também o Zé Avelino que no regresso ao carro, já de madrugada, tiveram que aguardar o final de uns trabalhos para entrar no mesmo. Mas esta história não é para aqui ser contada.

Pela manhã descemos o Cubalhão, passando Melgaço, parámos em Monção.

- Encontraram esta manhã o PIRILAU na pereira de São João.

 Foi a notícia que nos deu o Senhor Branco que então trabalhava no tribunal lá do   sítio. 

A esse acontecimento se referiria essa tal noticia do dia 9.

Passaram anos até que há cerca de uma dúzia voltei lá de novo com a saudosa Edna Holt. Essa ida está relatada em:

https://lopesdareosa.blogspot.com/2019/09/louvai-o-senhor.html

Não quis acreditar no que tinha ouvido no Santuário. Passados anos e lembrando-me do episódio, já em Fevereiro de 2016, proclamei: LOUVAI O SENHOR NO SEU LUGAR SANTO

https://lopesdareosa.blogspot.com/2016/02/louvai-o-senhor-no-seu-lugar-santo.html

No ano seguinte, 2017, voltei à Peneda, acompanhado pelo meu amigo José Maria Barroso assistindo embasbacado aos acontecimentos que também relato nesse texto:

https://lopesdareosa.blogspot.com/2019/09/louvai-o-senhor.html

Mas em 2017 não entrei no Templo. 

Coisa que já em 2019 não aconteceu pelas circunstâncias que também relato em

 https://lopesdareosa.blogspot.com/2019/09/louvai-o-senhor.html

E já em pleno templo descarreguei, despropositadamente, a minha raiva e disso foi testemunha o nosso Saudoso António Viana que lá fora comigo e com o Ernesto Mina.

(Tive o cuidado de transmitir a minha surpresa aos responsáveis do Santuário.)

E quando cheguei cá abaixo lembrei-me da data da Peneda e do PIRILAU. 

E tudo ficou plasmado no texto que publiquei no Outubro seguinte em 

https://lopesdareosa.blogspot.com/2019/10/os-caminhos-da-misericordia.html

e que repito hoje uma semana depois da PENEDA.

Os Caminhos da misericórdia

Dedicatória a Lúcio Amorim de Afife. 

- O Pirilau -  

Um Extraterrestre no meio do triste quotidiano 

A Tua via sacra é o meu  exemplo
Mas perdoa-me  se entro  no  Teu  templo
E não me ajoelho
Doem-me as rótulas do meu entendimento
Para acreditar já me sinto velho
- E a idade? -  Senhor, a  idade
São toneladas em cima dos ossos
E aquele corvo negro não é fatalidade

Grandes, grandes  são os pecados. Os nossos!
E os Teus? – Porquê tanto sofrimento?
Tanta mentira Senhor – e em Teu nome!!!

Perdoa-me se entro no Teu templo
Onde  o peso das pedras é enorme
Mas  não acredito no que ouço
(E não há esmolas para oferecer dentro do meu bolso)

Os  sinos deveriam dobrar só por ti. Não por mim!
Que eu não mereço

No que acredito está nas  palavras que não esqueço
Só tenho medo de não morrer ( já dizia o Lúcio Amorim)
Ser condenado a vaguear como Caím
Contar até ao fim do tempo as contas do meu terço

Mas a Tua via sacra não tem preço
Percorres os caminhos da misericórdia
Mesmo assim
Sem direito a soldo ou piedade

Acompanhar-te-ão os homens de boa vontade
e outros tantos como o Lúcio Amorim.

- Afinal quem se salva nesta selva de enganos?
- Os humanos não! E é isso que somos; apenas humanos.

AABL




domingo, 11 de setembro de 2022

FEIRAS NOVAS

 FEIRAS NOVAS em Ponte de Lima

Eram 

- e digo bem...eram - 

... no terceiro Domingo de Setembro. 

Representavam o fim das festas de Verão no nosso Alto Minho.

Havia um cheiro no ar a vindimas e cidra. O seu calendário correspondia ao ciclo da própria natureza!

Na mania da muita gente os de Ponte não resistiram à ideia saloia de antecipar as Feiras Novas para o segundo Domingo de Setembro.

Resultado:

Atiraram as Feiras Novas para cima das Festas da Senhora da Bonança em Vila Praia de Âncora. E se o primeiro Domingo de Setembro calhar no dia 1, a noite de Sexta para Sábado cai na noite grande da Peneda!

Já publiquei que o Conde de Aurora só se não levanta porque o obrigaram a ficar sentado!

Mas este ano dei por um comentário deliciosa na página do Município de Ponte de Lima em que estava apresentado o Programa das Feiras Novas desde 7 a 12 setembro 2022.





















Em que o Senhor Paulo Jorge  perguntava a que horas era a procissão ao mar ???. 

         

Ao que lhe respondi:

"A procissão ao mar é no domingo dia 11!!!! - Mas é a da Senhora da Bonança, em Vila Praia de Âncora, que calha no mesmo fim de semana! "

Tendo estado presente, ontem, no cortejo em Vila Praia de Ancora, veio-me agora uma ideia brilhante ( aliás como todas as ideias que me vêm).

Como Ponte de Lima não tem procissão ao mar e Vila Praia de Âncora tem duas, bem que poderiam os de Ponte e já que atiraram as Feiras Novas para cima da Senhora da Bonança, aproveitavam (os de Ponte) e integravam no programa das Feiras Novas uma das tais procissões ao mar que sobram  aos de Vila Praia de Âncora.  Era apenas uma questão escolher qual delas de acertar com os de Gontinhães o calendário.

AABL




sábado, 10 de setembro de 2022

As Minhas Armas

 Não são minhas. Vieram de João Verde de ARES DA RAIA.

Depois, detesto boleeiros. 

Aqueles que, embarcando no Entroncamento e quando chegam a Campanhã, contam a viagem como de tivessem embarcado em Santa Apolónia.

Contando com a incapacidade d'o interlocutor escrutinar a situação, falam como se o mundo tivesse começado precisamente na altura em que a mãe os pariu!

Há sempre antecedentes e antecessores!

Desta forma àquela 

gaita grileira - que bem poderia ser a do Tino Baz

àquela 

viola brejeira - também de Pedro Homem de Mello


- acrescento-lhe a minha harmónica tombada. -  La mariposa!


Outra vez, imagem de Pedro Homem de Mello

aabl


quarta-feira, 7 de setembro de 2022

O CADASTRO. MAIS UMA VEZ!

 Desta vez no JN de 30 de Agosto de 2022















E mais uma vez remeto para 

https://lopesdareosa.blogspot.com/2021/04/bupi-balcao-unico-do-predio.html

E já em 11 de Junho de 2022 no mesmo JN! 

Comentei da mesma maneira.

https://www.facebook.com/profile/100001807413800/search/?q=BUPI

E no texto mais actual se podem destacar.

" Muitos herdeiros e sobreposições têm atrasado o processo vital no combate aos incêndios"

Nunca os muitos herdeiros obstaram a que se fizesse o levantamento topográfico das propriedades a expropriar para a construção de uma IC ( por exemplo) Se tal acontecesse muitas auto estradas estavam por fazer!

As sobreposições decorrem do método. O BUPI aceita que um qualquer vá desenhar a "sua" propriedade no GOOGLE- seja lá onde for pois não tem qualquer capacidade de escrutinar a veracidade da localização além de que não é tecnicamente possível esse desenho. Excepção às propriedades muradas e mesmo assim nessas pode haver erro, não no desenho, mas sim na sua localização.

( O Cadastro) a que propósito é vital para o combate aos incêndios?

Em primeiro lugar o tal cadastro já existe. São as matrizes nas Finanças. O que falta é fazer o que tecnicamente se chama de "RESTITUIÇÃO" ou seja o levantamento topográfico ou em papel ou a sua geo-referenciação no sistema digital.

Depois num sei como é que enviando para o monte  esse tal cadastro que falta, vai o mesmo combater incêndios!

Eu já tentei isso com a lei de prevenção e combate a incêndios e num consegui nada!

 Ver 

https://www.youtube.com/watch?v=NmCrFohcUUs&t=2129s


"Pequenas propriedades dificultam o mapeamento"

Nunca a dificuldade de mapeamento das pequenas propriedades foi obstáculo a que se fizesse o levantamento topográfico das propriedades a expropriar para a construção de uma IC ( por exemplo) Se tal acontecesse muitas auto estradas estavam por fazer!

E depois, o que ainda é mais grave o BUPI não tem qualquer hipótese de escrutinar se uma propriedade já está registada na conservatória!

Ou seja há agora a necessidade de registar a propriedade e para tal há que ir ao BUPI. 

Isso quer dizer que quem tenha uma propriedade já registada não tenha que se preocupar com isso.- Pode dormir descansado???

Atenção e muito cuidado com isso. Esse proprietário não sabe se alguém vai ao BUPI e "desenha" uma propriedade em cima da dele! - quer por desconhecimento ou mesmo má fé.

A procissão ainda vai no adro. 

E o mais interessante é que o ónus da asneira vai depois cair nos prejudicados que não têm nada a ver com a implementação de um sistema que propicia essa mesma asneira!

Tone do Moleiro Novo