sábado, 8 de junho de 2024

Eu se não confirmasse num acreditava


Está em 

https://www.idboox.com/chroniques-livres/fashion-folklore-le-tres-beau-catalogue-de-lexpo-du-mucem/



Grande museu dando umas dicas de como é o traje regional em Viana do Castelo.

Sendo o Vermelho de Areosa, vou avisar o meu amigo Rego que anda toda a gente enganada lá no Etnográfico.

Pelo menos uma coisa está correcta

Como as algibeiras são muito parecidas com as Trompas de Falópio, esta está no sítio certo! Um pouco subida mas no eixo de simetria!


Esta fico-a a dever ao meu amigo Joaquim Coreia




A QUEDA DUM ANJO

 Desta forma, mesmo que Camilo não tenha sido propriamente  um "anjo", ele vai mesmo cair.

Se é que já não caiu!


Eu repito a pergunta


- Então o Camilo escreveu segundo as regras do         novo acordo ortográfico???

sábado, 1 de junho de 2024

Casa do Moleiro Novo há mais de cinquenta anos!

 


Casa do Moleiro Novo, talvez em 1968, junto ao espigueiro.


O Avô Jerónimo, a minha Tia e Madrinha Maria, a minha Avó Rosa a Minha Nai Carminda, a minha Irmã Carminda e o reforço de Afife... o Zé Brandão. Em baixo é fácil... eu que sempre tive dificuldade de respirar pelo nariz e ao meu lado, nem é necessário dizer. Também se chamava António.

- O meu filho há-de ser padre ou doutor, dizia a minha Mãe. 

E muito trabalhou aquela gente para que tal sucedesse. 

Falhei...dei mecânico. 

Mesmo assim com mais jeito prá música.

Da casa do Moleiro Novo. Sítio do Covelo, Lugar de Além do Rio. Santa Maria de Vinha.

Está em...

https://lopesdareosa.blogspot.com/2010/12/casa-do-moleiro-novo.html

Que vou repetir.


Casa dos avós. Casa dos Pais.
Lugar onde a gente se enterra antes de morrer.

Um dia ao jantar, na sala onde outrora fora a loja, onde se pousavam os feixes de erva para o gado e a jeito situada a meio do caminho entre a cozinha e o eido, pus-me a pensar neste, já com a porta de acesso tapada e nos degraus do outro lado. Lembrei-me daquele artifício do meu avô de colocar na ombreira dessa porta, uma tábua caiada para reflectir a claridade para dentro do eido em tempos de arrancar o estrume. (Isto muito antes da descoberta das fibras ópticas)

Tanto pensei nesse envolvimento que  saiu esta:

PURA LITERATURA 

Faço um poema idiota
que consiga abrir a porta
da gente que não se importa
com a Poesia.
Que não seja letra morta
quer de noite quer de dia!

Fui buscá-lo à esterqueira
ao lado que tão bem cheira
espero que saia à maneira
morena gorda sadia
P'ra perfumar a chieira
da Burguesia

Há disso também na corte
e a quem não faltar a sorte
caberá da boa e forte
( não há na mercearia)
se é muita reparta e corte
faça doce de aletria

No caminho vou à bosta
na porta do forno posta
na pedra que se encosta
dá melhor sabor ao pão.
Se é lareiro que se gosta
- Comer assim!? porque não!

Há de sobra na quemúa.
A gente que não amua
se da minha ou da tua
desfrutasse a demasia
decerto que não iria 
gritar no meio da rua 
que de fome padecia  

Se não chegar vou ao eido
onde a vaca deu um peido
e eu arranquei do
maior.
P'rámigos hei do
melhor
Um desses sei do
Leitor


( Ora essa! Não tem de quê! Sempre ao dispor! Escusa de agradecer! Mande sempre! Será sempre bem  vindo! Foi um prazer! Tem sempre a porta aberta! Sempre que necessite, já sabe! Temos que ser uns para os outros! Os amigos são para as ocasiões! Nem pense, até lhe levo a mal!)
Tone do Moleiro Novo












quarta-feira, 29 de maio de 2024

José Barrias

 POESIA!?

- O que é a Poesia???

- Que utilidade tem a Poesia???

Ninguém sabe descrever o que é a Poesia. 

No entanto sabemos (?) identificar a Poesia. 

Basta-nos a leitura de um texto que nos surpreenda na sua "inutilidade".

José Barrias surpreendeu-me 

 Passará o tempo                                                   Passa sempre o tempo                                         por nós e para nós                                                   habitantes do intervalo

E ficamos a pensar que poderíamos ter escrito isso mesmo.

No entanto alguém o fez antes de nós.

Mas podemos fazer nossas essas palavras.

(ah! Os Poetas! - Escrevem coisas que deixam de ser deles.)     

Passará o tempo                                                   Passa sempre o tempo                                         para ti e para mim                                                        para nós                                                  habitantes do seu fim




José Barrias em 
http://miec.cm-stirso.pt/portfolio/jose-barrias/


sexta-feira, 24 de maio de 2024

O meu ( re ) encontro com Kepa Junkera!

 Conheci o Kepa  nos anos noventa numa apresentação que ele fez na FNAC no Porto.

Aqui com o Senhor Nogueira e o Ruka. O Kepa com uma obra prima do Sr. Nogueira na mão! Em baixo o conjunto de ocasião.


Depois, em 2002, o Kepa esteve entre nós no Teatro Sá de Miranda num concerto promovido pelo Inatel. Tinha lançado um pouco antes o seu MAREN. 

Nessa altura escrevi no programa.

Mais tarde, 2005 encontrei o Kepa em Arsèguel, na Catalunha.


                                     Aqui a fotografar o artista com uma garrafa de Muralhas ao lado

Ainda em Arsèguel com as da Chàzinha de Gondarém.





Já em 2015 Kepa Junkera esteve em Ponte da Barca no Festival Intercéltico. No fim do concerto fui cumprimentá-lo. Esteve também nesse encontro a Adelaide de Campos!

Mas já em 2014 Kepa estivera em Cans, aqui bem perto, ao lado de Porrinho, numa actuação memorável com Pazos de Merexo, integrado no Festival de Cinema de Cans nesse ano, ver 

Com a particularidade de terem tocado dentro de um galinheiro.

Este ano os de Cans resolveram homenagear Kepa Junkera descerrando uma placa comemorativa fixada no muro que suporta o tal galinheiro que passou a chamar-se GALINHEIRO KEPA JUNKERA. - Ver


Acontece que eu e o Abilio Percina estivemos lá, em Cans. Foi na passada quarta feira 21 de Maio.

Aqui é necessário contar que em Dezembro de 2018 Kepa sofreu uma trombose. E desde então deixamos de ver e ouvir ao vivo um dos mais espantosos tocadores de diatónico mundialmente reconhecido como tal. Para recordar ver esta actuação com os Irlandeses Chieftain.


Ora Kepa manifestou que logo que tivesse recuperado a primeira visita seria à Galiza. E Assim foi. Esteve no descerramento da tal placa assim como na inauguração do Cão de Cans na rotunda de acesso à vila.

A Chegada de Kepa

Difícil foi conter-me! Ouvi nitidamente o Kepa dizer...                       - O PORTUGUÊS!

Recepção pelos acordeoneros de ocasião!


Descerramento da Placa no muro do galinheiro.



O que diz a placa


Final da Muinheira de Santo Amaro, a minha homenagem a Kepa.






O Cão de Cans na rotunda. Boina Basca. Lenço ao pescoço e acordeão dependurado.




















Neste festival há transportes públicos. São os Chimpins que equivalem às nossas Chibinhas 


Há paragens dos Chipimbuses


















Até as modestas   chibinhas são homenageadas em muro próprio. Esta aqui é Sr. Juan Maceira - Carpinteiro (que em 2015  ganhou o Chimpin de Prata)


E até existe uma Galiza com que muitos políticos enchem a boca mas poucos a conhecem!

AUPA KEPA  - EGURRE - INDARRA






terça-feira, 21 de maio de 2024

Paços de Brandão...dá-me razão

 Alguns intelectuais encartados ficam escandalizados por eu utilizar o NUM em vez de NÃO.

Em primeiro lugar nem sequer admito que haja alguém que possa ter alguma legitimidade de me corrigir.

A falar aprendi no colo da minha mãe e à mesa da minha família!

O escrever veio depois. E ler e escrever aprendi na primeira classe com o professor Mário Viana. Depois disso veio veio a leitura dos outros, que nos bons exemplos só encontrei a confirmação de tudo aquilo que aprendi na Casa do Moleiro Novo e nos bancos da Escola Fontes Pereira de Melo ali no Lugar do Meio de Santa Maria de Vinha.

Mas voltemos ao tal NUM.

Em Paços de Brandão existiu um agrupamento 

COMO ELAS CANTAM E DANÇAM EM PAÇOS DE BRANDÃO

A que já me referi em 

https://lopesdareosa.blogspot.com/2011/03/folclore-como-elas-cantam-e-dancam-em.html

No qual pontificava uma tal Maria Joana de Moura Ferreira-Alves    

Muito recentemente deitei mais sentido ao seu canto 

- a mais límpida voz de todas as cantadeira que ouvi até hoje

e reencontrei-me  aí com o meu orgulho!

No videou 

https://www.youtube.com/watch?v=rZWO460ikXQ

E a partir do minuto 1:45 pode ouvir-se no VIRA DE RODA pode ouvir-se


óH Moças dançai o vira 

que o vosso vira me alegra

Se não fosse o vosso vira

Eu num vinha à vossa terra


E


óh Moças dançai o Vira

Uma noite num é nada

Ai quem  não virou à noite 

Ai Vira-se de madrugada


Não é que a "Joaninha" não soubesse cantar "NÃO"

E não fui em que a ensinou a cantar NUM.






domingo, 19 de maio de 2024

REMAR para que o barco vença a arrebentação

A Mar é uma mulher

Remar é mar outra vez

Reamar é amar outra vez

Rearmar é armar outra vez

Armar outra vez

Para se amar outra vez

Para não se remar outra vez

Contra as marés

lopesdareosa