segunda-feira, 29 de junho de 2020

A CRUZ DAS ALMINHAS DO MONTE CERRADO

A CRUZ DAS ALMINHAS DO MONTE CERRADO

Resolvi, num destes dias, atravessar de Afife a Carreço pelo monte.

E percorri um caminho deveras curioso! Era exactamente o mesmo que eu há uns trinta anos tinha percorrido desde Carreço a Afife. 

Daí ter concluído que o caminho podia ser percorrido nos dois sentidos!!!

Acontece que por alturas do encolamento que o monte faz na transição entre Paçô e Gateira, existe um grande penedo onde se encontra o nicho das tais alminhas. Mas por essa tal altura de que falo, não dei pela existência de qualquer cruz.

Ora acontece que  ao passar por lá verifiquei que existe agora uma cruz a encimar o cabeço!

















Pela textura do granito da cruz é fácil concluir que se trata de uma cruz muito recente em relação à ancestralidade do penedo e do nicho. 

Disseram-me em Afife que foram os de Carreço que a colocaram lá!

Não comentei mas fiquei a pensar que, se uma vez que as alminhas estão viradas para Afife, não teriam sido afinal os de Afife que colocaram lá a cruz.

Eu que me dou muito bem tanto com os de Carreço como com os de Afife não quero acicatar nenhuma guerra por causa disso!

Até porque, fosse lá quem fosse, acho muito bem que tivessem colocado lá uma cruz dado que decerto existiu uma outra desde o aparecimento dessas alminhas!

Ou seja estas alminhas tiveram mais sorte que as do Cadinho  que na EN 13 levaram sumiço. 

Até hoje...nem uma réplica!

Tone do Moleiro Novo


Sem comentários:

Publicar um comentário